Pulso - Cardiologia Plena

Frutas e Verduras Podem Diminuir o Risco de Derrame

Foto Divulgação
Reduzir o risco de derrame pode ser tão simples quanto tomar um copo de suco de laranja no café da manhã e acrescentar algumas fatias de tomate ao sanduíche, informaram pesquisadores japoneses.

Em um estudo de 20 anos que mediu os níveis de vitamina C no sangue de mais de 21 mil moradores de áreas rurais do Japão, com 40 anos de idade ou mais, as pessoas que comiam mais frutas, legumes e verduras apresentaram níveis mais altos de vitamina C no sangue e foram entre 28 por cento e 41 por cento menos propensas a ter um derrame que as pessoas com baixos níveis de vitamina C.

"A concentração mais alta de vitamina C no sangue está associada à redução do risco de enfarte cerebral (isquemia cerebral) e derrame hemorrágico", segundo a equipe de Tetsuji Yokoyama da Universidade de Medicina e Odontologia de Tóquio, no Japão.

Os pesquisadores explicaram que a vitamina C, abundante em frutas e vegetais, é um antioxidante, substância que neutraliza radicais livres, compostos capazes de destruir o DNA das células causando envelhecimento e doenças crônicas.

Os antioxidantes podem impedir o depósito de gordura nas paredes das artérias, que leva a um tipo de derrame conhecido como enfarte cerebral. Outros mecanismos podem estar em ação, já que pessoas com altos níveis de vitamina C também tiveram um risco mais baixo de derrame hemorrágico, no qual há ruptura de vasos sanguíneos.

Assim, a ingestão de grande quantidade de frutas, verduras e legumes pode funcionar ou reduzindo a pressão arterial ou servindo como marcador para algo que reduza o risco de derrame, conforme o trabalho publicado na edição de outubro do Stroke: Journal of the American Heart Association (Associação Americana do Coração).

"Não estamos certos sobre qual é o mecanismo correto. Frutas, legumes e verduras são ricos em vitamina C, potássio, magnésio, cálcio, fibras e caroteno e estes nutrientes podem proteger contra o derrame", disse Yokoyama em entrevista à Reuters Health.

"Como o consumo de frutas, legumes e verduras pode ser mais alto entre pessoas que não fumam, não bebem demais e têm atividade física, esse comportamento saudável pode ser uma proteção contra o derrame", acrescentou o especialista.

Seja qual for o mecanismo, concentrações maiores de vitamina C no sangue diminuíram a incidência de derrame mesmo em pessoas com outros fatores de risco como pressão arterial alta, consumo freqüente de álcool, fumo e vida sedentária.

Entretanto, algumas vezes o benefício foi reduzido pelo fumo e álcool, que interferem na forma que o corpo absorve e metaboliza a vitamina C. Yokoyama enfatizou que o estudo observou a vitamina C dos alimentos, não de suplementos alimentares.

De acordo com o especialista, o estudo não indica que comprimidos efervescentes de vitamina C reduzem o risco de derrame. "O melhor é consumir a vitamina C natural das frutas, verduras e legumes", disse o especialista.
Boa Saúde


 

A Longevidade ao Alcance de Todos


 

👨‍⚕ Institucional 👩‍⚕


 

Ataque Cardíaco


 

👉 Você já conhece a Pulso Cardiologia?


 

A Ansiedade na Terceira Idade!


 

Localização


 

Implante de marcapasso: O que você deve saber!


 

Pulso Cardiologia Plena


 

Câncer de mama!


 

A importância de se medir e se controlar os níveis de colesterol!


 

Soluções em Prevenção, Diagnóstico e Tratamento das Doenças Cardiovasculares.


 

Outubro Rosa


 

Pressão Alta?


 

O que fazer para parar de fumar?


 

Localização


 

Missão, Visão e Valores!


 

As Doenças Cardiovasculares na Terceira Idade!


 

Doenças Cardíacas: um mal que se pode prevenir


 

O Coração e a Circulação na Terceira Idade


 

Implante de marcapasso: O que você deve saber


 

Institucional


 

Localização


 

Osteoporose é a principal causa de fraturas na bacia


 

Doença silenciosa, tromboembolismo venoso deve ser prevenido


 

Obesidade infantil: Um problema mundial


 

Localização


 

Institucional


 

Dieta vegetariana na gravidez: Riscos e Benefícios


 

O envelhecimento do sistema nervoso


 

Morte súbita de origem cardíaca

Pulso - Cardiologia Plena
Pulso - Cardiologia Plena